5 Motivos

5 motivos para ler | Flores para Algernon, Daniel Keyes

Já perdi as contas de quantas vezes tentei escrever algo sobre esse livro. Finalizei a leitura de Flores para Algernon em dezembro do ano passado, e desde então venho tentando transmitir tudo o que ela significou para mim. Mais do que falar sobre esse livro, desejo fazer com que o máximo de pessoas o leiam também. Poderia listar inúmeros motivos para vocês darem uma chance para conhecer essa história, mas vou me abster nos principais, que realmente a fizeram dela especial para mim.

#1 | CHARLIE

Charlie Gordon tem 32 anos e um QI menor que 70. Ele trabalha na padaria Donners, é rodeado por amigos e estuda numa escola para adultos retardados. Seu maior desejo? Ser inteligente para conquistar cada vez mais amigos. Uma cirurgia revolucionária tem tudo para dar o que ele quer, mas os riscos são altos, porque ela nunca havia sido testada antes em humanos, somente em Algernon, um rato. Mesmo assim, Charlie persiste e decide fazer parte do experimento, então nós passamos a acompanha-lo a partir da fase de preparação. Ao longo da leitura, Charlie se redescobre diversas vezes, a partir do momento que tem acesso a uma memória há muito esquecida ou conhece algo novo. É com muita facilidade que nos conectamos com ele e vibramos a cada nova descoberta, torcendo para tudo dar certo.

#2 | NARRATIVA

“Não mimporto muito em ser famoso. Só quero ser esperto como as outras peçoas para poder ter amigus que gostam de mim”.

Flores para Algernon é um romance epistolar. Nós acompanhamos toda a história através dos relatórios de progresso de Charlie, então é como se tivéssemos acesso a um diário seu e consequentemente aos seus sentimentos mais íntimos. É através desses relatórios que visualizamos todo o cotidiano dele, antes e depois do procedimento cirúrgico. Mas o mais interessante de tudo é a forma como ele nos é apresentado. Charlie tem suas limitações, então o texto apresenta diversos erros de ortografia e pontuação. No início a leitura fica até complicada, mas no decorrer dela você vai se habituando. Através dessa escrita você fica atento e ao mesmo tempo apreensivo pelos sinais da evolução de Charlie.

#3 | REFLEXÕES

“As pessoas acham engraçado quando alguém estúpido não consegue fazer as coisas do mesmo jeito que elas.”

Desde o início, Flores para Algernon promove inúmeras reflexões. Ao nos depararmos com Charlie, um homem com uma visão diferenciada da realidade, com pensamentos ingênuos e inocentes, isso choca. Não pela sua situação, mas sim porque os seus sentimentos com relação as pessoas que estão a sua volta não são recíprocos, mas dentro da sua percepção, nem precisa. Porque ele é feliz assim. No entanto, é impossível não nos magoarmos ao constatar a maldade e o preconceito dos que estão ao seu redor. Este é apenas o ponta pé inicial para uma história recheada de questionamentos pertinentes e embates entre a razão e a emoção. Em determinados momentos passamos a questionar até que ponto vale a pena arriscar a sua felicidade em busca da inteligência, que pode ser um dom e um fardo ao mesmo tempo.

#4 | LEITURA EMOCIONANTE

“(…) Mas muito frequentemente a busca por conhecimento exclui a busca por amor “.

Prepare os lencinhos, porque Flores para Algernon irá te desidratar. Já adianto que esta será uma leitura arrasadora, que irá te despedaçar aos pouquinhos. Como iniciei a leitura sem saber muito dela, me surpreendi quando logo no início da história me vi com os olhos encharcados. Mas não desanime por causa disso, porque o livro é sim triste, mas mais do que isso ele é bonito e desperta as mais intensas emoções.

#5 | CLÁSSICO RENOMADO

E para encerrar com chave de ouro, o livro de Daniel Keyes é uma história atemporal. Lançado pela primeira vez em 1958 como um conto, venceu o Prêmio Hugo em 1960. Mais tarde foi lançado como um romance e venceu o Prêmio Nebula, em 1966. A história já foi adaptada para diversas plataformas, como TV, Rádio e Teatro. Em 1968, a adaptação cinematográfica Os Dois Mundos de Charly foi dirigida e estrelada por Cliff Robertson, premiado com o Oscar por sua atuação. Em 2018, o livro finalmente foi publicado no Brasil pela editora Aleph, em uma edição muito caprichada, digna de um clássico.

“Que estranho é o fato de pessoas de sensibilidade e sentimentos honestos, que não tirariam vantagem de um homem que nasceu sem braços ou pernas ou olhos, não verem problema em maltratar um homem com pouca inteligência”.

Espero de coração ter despertado o interesse de vocês para conhecerem essa história que mexeu tanto comigo e me fez enxergar as coisas de outra maneira. O autoconhecimento de Charlie também fez com que eu mesma me conhecesse melhor e passasse a me questionar sobre atitudes e a forma com que vejo o mundo. Flores para Algernon ganhou um espaço especial na minha vida e virou um dos livros mais preciosos que já li.


Flores para Algernon

Título: Flores para Algernon
Autor: Daniel Keyes
Tradução: Luisa Geisler
Editora: Aleph
Ano: 2018
Páginas: 288
Skoob | Goodreads | Amazon

SINOPSE: Aos 32 anos, Charlie trabalha na padaria Donners, ganha 11 dólares por semana e tem 68 de QI. Porém, uma cirurgia revolucionária promete aumentar a sua inteligência, considerada gravemente baixa. O problema? Enxergar o mundo com outros olhos e mente pode trazer sacrifícios para a sua própria realidade. E resta saber se Charlie Gordon está disposto a fazê-los.

8 Comentários

  • Fernanda Pedotte

    Oie!!

    Totalmente convencida com os motivos! Com certeza essa seria uma leitura para mim pelos motivos apresentados, adoro obras em forma epistolar e quase não vejo e adoro quando é pra arrasar. Precisa mexer com minhas emoções.
    Dica anotada!

    bjs
    Fernanda

  • Cecília Justen de Souza

    Ei! Tudo bem?

    Só de saber que você não tem palavras e sente a necessidade de continuar falando sobre a obra eu já sei que não preciso ler os motivos para saber que é incrível. Acabou que eu fui convencida pela narrativa, li poucos livros que se parecessem com diário, mas todos os que li eu favoritei e foram histórias inesquecíveis.

    Beijos!

  • Michelâyne Raniely

    Gi, eu amei seu cantinho! Seu blog é lindo e delicado. 💙💙 Sobre Algernon, ainda não conhecia o livro e fiquei muito curiosa. Parece garantir ótimo momentos e boas reflexões! Adorei os 05 motivos, gosto de narrativas que emocionam e ensinam na medida certa.

  • Jessie Faustino

    Olá, Gisele. Tudo bem?

    Nossa… já vi a capa desse livro por diversas vezes, mas nunca parei para ler e saber mais sobre ele — e lendo sua resenha, nem de longe, eu poderia imaginar que a obra aborda um tema/assunto tão importante e tocante! Eu ainda estava no segundo motivo quando meu coração já se apertou e foi tocado pelo primeiro quote. Seria uma dessas histórias que sem duvida alguma me emocionaria e me levaria a refletir sobre muitas coisas, assim como você escreveu. Mas também não nego, que é justamente as altas chances de ser profundamente afetada com a história, e a pessoa que é o personagem Charlie, que me leva a temer a leitura de “Flores para Algernon”. No entanto, espero ter coragem e oportunidade para lê-lo um dia, e que seja uma leitura inspiradora positivamente.
    No mais, amei a escolha do livro como indicação. Parabéns!

    Com carinho,
    Jessie do blog Cacto Florido

  • Isabela Manhães

    Nossa, que história emocionante! Adorei os 5 motivos, achei interessante por trazer tantas reflexões e um tema que me interessa bastante que é essa coisa de razão x emoção. Muito bom! Fiquei bem curiosa para conhecer essa história!

    Beijos,
    Isa
    taglibraryisa.blogspot.com

  • Mirelle Almeida

    Oiii,
    Com todos esses pontos, pode ter certeza que sim, você despertou meu interesse pelo livro. Menina, essa edição é mesmo linda, bem caprichada. E eu gostei muito da premissa da obra, parece ser o tipo de livro que nos sensibiliza. Eu já havia visto, mas nunca tinha lido nada sobre ele. E confesso que já vou colocá-lo para compra futura ❤️Quero conhecer mais do Charlie ❤️
    Um beijo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *