primeiras impressões

Primeiras Impressões | It: A Coisa, Stephen King

A verdade é que eu não me via lendo It: a coisa tão cedo. King ainda não me decepcionou em nenhum dos três livros que li dele: Misery, Mr. Mercedes e Joyland. Porém, há um limite quando se trata do autor. Por conta dos pesadelos que me assombram quando leio histórias pesadas, decidi ficar longe daquelas que prometem ser mais aterrorizantes.

Quando fui ao cinema assistir a primeira parte da adaptação de It em 2017, é óbvio que morri de medo, até mais do que eu esperava, mas achei a história pra lá de intrigante, então pela primeira vez me vi pensando em encarar esse calhamaço. Mas a segunda parte só sairia em 2019, então eu tinha um tempinho para pensar nisso.

Acontece que os dias voam, então aqui já estamos nós. A oportunidade surgiu quando um grupo de amigos, os juregs, sugeriram uma leitura conjunta. Pra quê passar cagaço sozinha, não é mesmo? Adorei a ideia. Tudo casou direitinho, porque a segunda parte da adaptação sai este ano, então se não fosse agora, não seria mais.

Por mais que eu tenha me preparado para inicia-la, não foi o suficiente para o que estava por vir. Lembro que vi diversas pessoas falando que o livro não dava tanto medo assim, que não era apenas um livro de terror. Pois bem, com base nessas informações, criei coragem e fui com fé e esperança de que a leitura de fato não fosse tão aterrorizante assim.

Doce engano. Já nas primeiras páginas King mostra para o que veio. Por mais que o primeiro capítulo mostre aquilo que já vi no cinema (a famosa cena de George com o seu barquinho de papel), lendo foi muito mais assustador. Aliás, todas as cenas que já foram pesadas no cinema, no livro são ainda piores, muito mais intensas.

Então, logo depois das primeiras páginas aceitei o que estava por vir: definitivamente esta seria uma leitura difícil, e o que mais me motivou foi saber que me comprometi com a leitura conjunta. Mas, mesmo aos trancos e barrancos, digo que a leitura está valendo (e muito) à pena. Para uma fã de construção de personagens como eu, King nos presenteia com uma trama complexa, que desenvolve os personagens de forma excepcional.

O mais interessante da leitura está em como o King apresenta a história, intercalando a narrativa entre o presente e o passado, construindo a grande atmosfera ao redor de Derry, que não é apenas o palco dessa história, mas a grande personagem principal. É impossível se contentar apenas com mais um capítulo (que são enooormes, amo), mas você quer devorar logo o livro todo e entender todas as estranhices da história.

Os pesadelos, conforme previsto, vieram. Antes de chegar na metade do livro, até então o saldo está em dois pesadelos e dois sonhos. Estou rezando muito para que o quadro não mude muito até o final da leitura, porque vou te contar uma coisa, viu? Os pesadelos vão além de sonhar com o Pennywise, o que já é ruim, mas é algo mais introspectivo, como se a atmosfera de Derry os infiltrasse de alguma forma, e nada de agradável pode sair daí. Mas sabe o que é pior de tudo?Nessas situações, geralmente acordo e perco o sono. E a coragem de olhar pro lado? Levantar e ir tomar uma água? Não existe, então eu fico quietinha até o sono voltar 🙂

Enfim, gostaria de compartilhar com vocês as minhas primeiras impressões do livro e também um pouquinho da minha experiência. Não está lá umas mil maravilhas, como vocês puderam perceber, mas até então a história está valendo todo o sofrimento. Se você deseja ler esse livro, não pretendo afastá-lo, porque não sou parâmetro, ok? A não ser que você seja um tanto medroso e tenha pesadelos, então garanto que a sua leitura será tão aterrorizante quando a minha.


It: A Coisa

Título: It: A Coisa
Autor: Stephen King
Tradução: Regiane Winarski
Editora: Suma de Letras
Ano: 2014
Páginas: 1103
Skoob

SINOPSE: Durante as férias escolares de 1958, em Derry, pacata cidadezinha do Maine, Bill, Richie, Stan, Mike, Eddie, Ben e Beverly aprenderam o real sentido da amizade, do amor, da confiança e… do medo. O mais profundo e tenebroso medo. Naquele verão, eles enfrentaram pela primeira vez a Coisa, um ser sobrenatural e maligno que deixou terríveis marcas de sangue em Derry. Quase trinta anos depois, os amigos voltam a se encontrar. Uma nova onda de terror tomou a pequena cidade. Mike Hanlon, o único que permanece em Derry, dá o sinal. Precisam unir forças novamente. A Coisa volta a atacar e eles devem cumprir a promessa selada com sangue que fizeram quando crianças. Só eles têm a chave do enigma. Só eles sabem o que se esconde nas entranhas de Derry. O tempo é curto, mas somente eles podem vencer a Coisa. Em ‘It – A Coisa’, clássico de Stephen King em nova edição, os amigos irão até o fim, mesmo que isso signifique ultrapassar os próprios limites.

6 Comentários

  • Amor pelos Livros

    Oieee,
    Meo deos, você é muito corajosa! Se eu tivesse tendências a ter pesadelos nunca que iria ler histórias de terror – o que já não leio ^^! kkkkkkkkk, eu sou medrosa, então é capaz que tivesse sim pesadelos. Acredito que a leitura tem que valer muito a pena pelo sofrimento psicológico que ela está causando kkkkkkkkkk.
    Quero me aventurar nas histórias do King, mas só nas superficiais, que não aterrorizam tanto!
    Boa sorte, boa leitura e Fighting!!!

  • Maria Helena Medeiros

    Olá!
    Fico feliz em saber que o livro é mais aterrorizante que o filme kkk Porque achei um pouco fraco, claro, assisti o último lançamento, dizem que o antigo é melhor.
    Também tenho pesadelos e me impressiono fácil, mas não consigo parar de ler terror kkk Não sei, acho que sou meio doida mesmo… Ansiosa pela resenha! Força, você consegue finalizar!!

    Beijos,
    Lena.

  • Viviane Ferreira Oliveira

    Como assim??? não dá medo vaaai, a primeira cena é a mais chocante, as demais achei bem pior no filme, no livro eu senti mais asco sabe, do que medo mesmo, mas to feliz que encarou e esta gostando!!

    osenhordoslivrosblog.wordpress.com

  • Viviane Almeida

    Olá, tudo bem? Primeiramente quero dizer que adorei a sua foto, ela ficou perfeita! Sempre tento fazer uma parecida com essa, na cama e no sofá mas, nunca ficam tão legais assim.

    IT a coisa, foi o meu primeiro contato com as obras do autor, apesar de nunca ter lido nada dele, eu tinha certeza que iria gostar porque já havia lido várias resenhas sobre ela. Como você não fiquei com medo em momento nenhum do livro mas, senti uma mistura de raiva, repulsa e nojo daquelas pessoas que viam as coisas acontecerem sem fazer nada, os pais das crianças são muito relapsos e algumas vezes mais ruins do que a própria coisa.

    Fui assistir ao filme apenas no final do ano passado, depois que terminei a leitura do livro e, apesar de ter gostado da história achei que as muitas mudanças deixaram tudo mais tranquilo e menos sinistro do que realmente é. Algumas situações foram amenizadas e outras pouco exploradas mas, como é uma adaptação não poderia esperar muita coisa néh?

    Beijos e Abraços VIVI

  • Clube do Farol

    Ahhhhhhh! Eu sabia que dava para sentir medo! Acho que todas as resenhas que li falavam “não dá medo” ou “não dá tanto medo quanto parece”. Mas uma parte minha fica falando “Dani, você é medrosa, nem tente ler isso.” Na verdade eu não tive coragem nem de assistir o filme, rs. E não tenho a mínima vontade, sério, rs.
    E você é muitooooo corajosa por ler mesmo com medo e pesadelos, você é toda poderosa, quando eu crescer quero conseguir encarar coisas diferentes mesmo com medo como você. Muita força e coragem. Não sonhe com balões.
    Bjo
    ~ Danii

  • Jacqueline Vasconcelos

    Oi,tudo bem ?

    STEPHEN KING tem uma escrita maravilhosa ! Sou medrosa e é claro que acredito que os livros dão medo,assim como a adaptação também ficou incrível, as partes pesadas dos livros teve umas que fizeram bem em retirar para o cinema. Quero muito ler Joyland, já ouvi falar muito bem dele e fiquei intrigada com toda a proposta exposta na sinopse.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *