• Resenha | As Brigadas Fantasma – John Scalzi

    “A tecnologia humana era boa, mas a arma que importa, no fim das contas, é aquela que fica atrás do gatilho”.

    Quando você gosta muito de um livro, fica difícil controlar as expectativas quanto à continuação. Guerra do Velho não foi só o responsável por iniciar a minha vibe sci-fi, mas também um dos livros mais divertidos que li em 2016. Eis que a tão aguardada continuação chega ao Brasil e acabei me deparando com algumas críticas negativas, de pessoas que assim como eu, tinham adorado o primeiro livro.

    Além do procedimento de controlar as expectativas, decidi me esquivar das demais opiniões e tentar apreciar a história do zero, sem ficar comparando com Guerra do Velho. O que não foi difícil, já que a história não apresenta uma continuação direta, mas uma trama independente e com um novo protagonista.