• 5 livros para ler no Halloween

    Olá abduzidos, tudo bem com vocês?

    O Halloween está próximo e nós já entramos no clima. O post de hoje é especial, porque eu e o Rogério, colaborador do blog, nos juntamos para recomendar livros que têm tudo a ver com essa data. Particularmente, não sou expert em livros dos gêneros de terror ou suspense, o que já não é o caso do Rogério, mas nós nos esforçamos para trazer as melhores dicas pra vocês.

  • Melhores Leituras de 2017 | Top 12

    Olá, abduzidos!

    Tudo pronto para divulgar o meu top 10, aos 45 do segundo tempo eu terminei de ler O Navio Arcano, um calhamaço que atrapalhou todo o meu cronograma. Só que, também na hora de colocar as escolhas no papel, me lembrei de um livro que não poderia ficar de fora. Então, ao invés de ficar na sofrência (de novo, porque chegar ao top 10 não foi fácil), decidi ser diferentona e mostrar pra vocês as minhas 12 melhores leituras de 2017.

    Para conseguir chegar a esse número, eu decidi estabelecer uma única regra, que é não repetir o autor e escolher uma única obra para representar o seu lugar no palanque. A partir do top 3 não existe uma ordem de preferência, todos os livros estão em pé de igualdade para mim.

    Que rufem os tambores!

  • Resenha | As Brigadas Fantasma – John Scalzi

    “A tecnologia humana era boa, mas a arma que importa, no fim das contas, é aquela que fica atrás do gatilho”.

    Quando você gosta muito de um livro, fica difícil controlar as expectativas quanto à continuação. Guerra do Velho não foi só o responsável por iniciar a minha vibe sci-fi, mas também um dos livros mais divertidos que li em 2016. Eis que a tão aguardada continuação chega ao Brasil e acabei me deparando com algumas críticas negativas, de pessoas que assim como eu, tinham adorado o primeiro livro.

    Além do procedimento de controlar as expectativas, decidi me esquivar das demais opiniões e tentar apreciar a história do zero, sem ficar comparando com Guerra do Velho. O que não foi difícil, já que a história não apresenta uma continuação direta, mas uma trama independente e com um novo protagonista.

  • Resenha | Frankenstein, ou o Prometeu Moderno – Mary Shelley

    A verdade sobre Frankenstein

    A parte mais prazerosa desta leitura foi, irrevogavelmente, a introdução, que nos apresentou à Mary Shelley e mostrou de forma muito efetiva como ela deu início à sua obra primorosa, quais foram suas influências e motivações. Foi incrível como me senti no século XIX, sentada diante de Mary em sua escrivaninha enquanto a mesma escrevia e detalhava sobre sua criação. Neste início, temos também detalhes sobre as edições e modificações que o romance teve, desde sua primeira publicação até esta que é mais conhecida por nós, de 1831.