• Livros para crianças | Coleção Pipoquinha

    Olá abduzidos, tudo bem com vocês?

    Tenho um sobrinho de 5 anos chamado Luan (que já deu suas carinhas em alguns stories lá no instagram), e desde sempre minha irmã e eu trabalhamos incentivando-o com a leitura. Minha parte fica à cargo dos presentes. Aniversário, dia das crianças, natal; qualquer data é motivo de presentear com um livro. Já a tarefa da minha irmã é a mais crucial, entretê-lo toda noite com uma historinha, um hábito que ele aprecia e gosta muito.

    Quando vi sobre o lançamento da Coleção Pipoquinha pela editora Intrínseca, corri mostrar para ele todos os livros que foram inspirados em clássicos do cinema. Ele demonstrou interesse na hora e ficou muito empolgado. Logo que eu recebi  E.T. – O Extra Terrestre pela editora, meu sobrinho tomou posse e leu primeiro que eu.

  • Resenha | Leonardo da Vinci – Walter Isaacson

    “Se o amor não existe, o que existe então?”

    História é uma ciência da área de humanas que nos permite fazer um estudo reflexivo e crítico sobre o passado, percebendo a evolução do modo de vida, de novas descobertas e através da transformação do pensamento humano. E um dos períodos mais fascinantes dessa transformação do “homem” em seu ambiente ocorre durante a transição entre o período que historiadores chamam de Idade Média, com o fim do feudalismo, para a Idade Moderna, onde as pessoas começam a deixar de viver no campo e se entregam a um novo estilo de vida em que as cidades foram crescendo, novas profissões ou ofícios aparecendo, expansionismo comercial e a filosofia moral chamada de humanismo, que coloca o ser humano no centro do mundo, e não mais a figura de Deus como o centro de todas as coisas. O Humanismo ajudou na transformação do pensamento e seu efeito é nítido no surgimento de novas ciências, nas artes e na desmitificação do universo. E é nesse período de renascimento de novas ideias que surge uma das figuras mais impressionantes da nossa história: Leonardo da Vinci.

  • Resenha | Black Hammer: Origens Secretas, Jeff Lemire

    Para quem aprecia histórias com uma boa construção de personagens, essa HQ é um prato cheio. Escrita por Jeff Lemire e com ilustrações de Dean Ormston, acompanhamos a vida pacata de ex-heróis exilados em uma fazenda fora dos limites do tempo. Não se sabe o porquê eles foram exilados, nem como. Só o que sabemos é que já fazem 84 anos 10 anos que eles salvaram o mundo em Spiral City do temível Antideus, e desde então estão confinados nesta cidade-prisão tendo que disfarçar seus poderes, esconder suas identidades de heróis e agirem como uma família.

  • Resenha | Mitologia Nórdica – Neil Gaiman

    Diferente de Neil Gaiman, os breves contatos que tive com a mitologia nórdica veio principalmente através das histórias sobre Vikings, tanto na literatura quanto na TV. Desde então, eu sempre me sentia curiosa com relação aos diferentes deuses que eles cultuavam.

    Quando descobri sobre o lançamento de Mitologia Nórdica, o livro foi direto para a minha lista de desejados, porque finalmente teria a oportunidade de conhecer um pouco dessa mitologia, somando o fato dela ser escrita por um autor que gosto muito. Desde pequeno, Neil Gaiman era fascinado pelos quadrinhos do Thor e a partir daí surgiu o seu interesse sobre os mitos nórdicos, que é o seu universo favorito de lendas.

  • Enredo – A Roda do Tempo

    Seguindo a ideia de destrinchar os 5 motivos para ler A Roda do Tempo, hoje é dia de falar sobre o enredo da série. Para isso, vou me aprofundar na sua premissa e também apresentar um pouco dos principais elementos que compõem a trama. Não deixe de conferir a postagem sobre O Mundo de A Roda do Tempo, porque será essencial para o entendimento do enredo. Se você ainda não conhece, o que acho difícil, A Roda do Tempo é uma série de alta fantasia que possui 14 livros e 1 prequel. Este mês, a editora Intrínseca lançou o sexto livro da série aqui no Brasil.

    WORLDBUILDINGENREDO – SISTEMA DE MAGIA – PERSONAGENS – MULHERES

  • Livro x Filme | A Forma da Água

    “As criaturas mais inteligentes são as que geralmente fazem menos sons”.

    O interesse para ler A Forma da Água surgiu logo quando soube que o livro não era apenas uma novelização do filme, mas que ambos foram criados simultaneamente e que poderiam apresentar diferenças entre si. Depois disso, foi difícil esperar o lançamento do livro e me segurar para não conferir a história do cinema, principalmente depois que ela levou o principal prêmio na noite do Oscar. É quase uma regra entre a maioria dos leitores sempre conferir o livro antes do filme, e tenho certeza que tomei a atitude certa.