Resenha | Black Hammer: Origens Secretas, Jeff Lemire

Para quem aprecia histórias com uma boa construção de personagens, essa HQ é um prato cheio. Escrita por Jeff Lemire e com ilustrações de Dean Ormston, acompanhamos a vida pacata de ex-heróis exilados em uma fazenda fora dos limites do tempo. Não se sabe o porquê eles foram exilados, nem como. Só o que sabemos é que já fazem 84 anos 10 anos que eles salvaram o mundo em Spiral City do temível Antideus, e desde então estão confinados nesta cidade-prisão tendo que disfarçar seus poderes, esconder suas identidades de heróis e agirem como uma família.

Para alguns, como Abraham, a vida na fazenda faz sentido. Ele se acostumou à função de fazendeiro e chefe da família, encontrou alguém que gosta e aceitou bem essa nova realidade tranquila. Em contrapartida para Gail, tudo se torna cada vez mais insuportável. Conhecida como A Menina de Ouro, sempre que dizia uma determinada palavra chave ela voltava a se transformar numa garotinha poderosa, independentemente da idade que possuía. Só que no momento em que a catástrofe cósmica ocorreu, Gail, que era praticamente uma idosa, ficou presa para sempre na forma de uma garota. Então se adaptar a essa realidade não é tão fácil para ela, que é forçada a viver e agir de acordo com a sua aparência de criança. O que ela não o faz, é claro. Diante do teatrinho familiar perante a cidade, Gail nada mais é do que a pré-adolescente problemática neta de Abraham.

Black Hammer: Origens Secretas exibe os seis primeiros fascículos originais que apresenta particularmente cada um dos personagens exilados, que são os já mencionados, Abraham Slam e Gail, a Menina de Ouro, e também Barbalien, Coronel Weird e Madame Libélula. Para quem gosta de super-heróis, com toda certeza captará inúmeras referências a personagens muito conhecidos dos quadrinhos, e esta é claramente uma homenagem do autor, que também é muito fã. Mesmo que você fique com o sentimento de que já viu aquilo em algum lugar, não incomoda, porque o autor logo acrescenta algo que impressiona e muda a perspectiva.

Coronel Weird foi o personagem que mais me surpreendeu. A princípio, ele aparenta ser um dos mais desestabilizados e desconexos da fazenda. Parece ser maluco, porque não diz coisa com coisa. A verdade é que ele teve uma experiência peculiar quando adentrou um portal interdimensional conhecido como Parazona e adquiriu habilidades extrassensoriais. Desde então, ele vive viajando entre o tempo e espaço, então perde um pouco a noção da realidade. Porém, é impossível dizer que ele é o meu personagem favorito, já que todos conseguiram me cativar muito. Outra coisa interessante é que a cada fascículo os quadrinhos ganham elementos que se moldam ao personagem apresentado, reforçando a sua identidade.

Como vocês puderam perceber, aqui temos uma história sobre super-heróis. Não sobre seus feitos, vilões ou missões impossíveis. Mas a respeito deles mesmos. Sobre quem eles são, como funciona a estranha relação familiar e de amizade que se formou. As nuances dessa convivência são tratadas de forma sutil, enquanto visualizamos como essa estranha realidade afeta cada um deles de forma diferente.

O quadrinho possui um tom melancólico e sombrio, mas em determinados momentos também somos agraciados com situações muito divertidas. Os traços de Dean Ormston e a paleta de cores utilizada por Dave Stewart, o colorista, são incríveis e se conectam muito bem com a história, reforçando o seu aspecto deprimido.

Li e me diverti muito com Black Hammer. Foi uma leitura rápida, extremamente agradável e que me deixou imersa com muita facilidade. Você devora as páginas querendo conhecer mais a fundo cada um desses personagens e entender o porquê eles residem e vivem nessa espécie de limbo. Esse mistério move a trama e te deixa ansioso para descobrir se há uma forma de desvendar e reverter essa situação. Porém, como eu disse antes, esse primeiro volume funciona apenas como uma apresentação.

Para diminuir a minha angústia de ter chegado no final, fui gratificada com um extra muito legal, onde o autor conta algumas curiosidades sobre a criação do quadrinho de forma geral. É um posfácio que vale muito a pena e te deixa ainda mais animado para acompanhar a continuação. Black Hammer é altamente recomendado a fãs de super-heróis e a quem está começando a se aventurar no mundo dos quadrinhos, como eu.

Exemplar cedido em parceria com a editora.


Black HammerTítulo: Black Hammer: Origens Secretas
Autor: Jeff Lemire, Dean Ormston (ilustrador) e Dave Stewart (cores)
Tradução: Fernando Scheibe
Editora: Intrínseca
Ano: 2018
Páginas: 184
Skoob | Goodreads | Amazon

SINOPSE: No passado, eles salvaram o mundo, mas agora levam vidas medíocres em uma cidade rural fora dos limites do tempo. Não há como fugir, mas Abraham Slam, Menina de Ouro, Coronel Weird, Madame Libélula e Barbalien tentam empregar suas habilidades extraordinárias para se libertar desse incomum purgatório. Obrigados a disfarçar seus poderes, sua natureza e suas origens aos olhos dos habitantes locais, eles personificam uma típica família disfuncional, tentando criar para si uma vida normal. Este primeiro volume, Black Hammer: Origens secretas, reúne os primeiros seis fascículos originais e conta ainda com posfácio do autor, perfis da construção de personagens e esboços originais.

7 comentários

  • Jéssica Rabelo

    Oii Gisele.
    Eu quase nunca leio HQs, mas minha desenhista interior está louca para ler essa. Se em livros personagens bem construídos são bons, devo imaginar que para HQs vendo o rosto dos personagens deve ser uma experiencia única. Além disto, a premissa da história é muito boa, a vida deles na especie de limbo é interessante de mais e fico satisfeita com o modo com o qual parece ser desenvolvido.
    Amei de mais sua dica Gih.
    Beijos.

    Blog: Fantástica Ficção

  • Viviane Oliveira

    É sempre bom retomar as origens gráficas rsrs eu amo quadrinhos, mas faz um tempo que não leio e deu uma saudade vendo esse post…
    Achei o trabalho gráfico lindo, dá pra sentir os tons mais melancólicos, mas pudera né, com essas origens hehehe eu tb ficaria bem zangada se ficassa aprisionada dessa forma.

    osenhordoslivrosblog.wordpress.com

  • Cecília Justen de Souza

    Ei! Tudo bem?

    Não sou muito fã de HQ, eu fico muito perdida (não consigo lidar haha), mas adorei a proposta dessa história e já fiquei toda empolgada com sua resenha. Sua postagem está incrível e você me convenceu fácil a ler, principalmente apresentando os personagens, gosto bastante da questão de eles falarem sobre as relações e não sobre feitos históricos, isso nos aproxima mais.

    Beijos!
    http://www.365coresdouniverso.com.br/

  • Kelly muniz

    Oie…acredita que NUNCA li um HQ?? Sempre vejo as pessoas falarem super bem desse tipo de leitura mas eu nunca tive curiosidade e nem me aventurei por esse tipo de livro. Chegou a hora de mudar!!
    Fiquei bem interessada nesse, ainda mais que você disse que sua leitura fluiu rapidamente. Um mistério desse da sim muita vontade de devorar logo e conhecer cada personagem como você disse.
    Quem sabe um dia dou a chance para esse tipo de leitura.
    Muito boa a sua resenha.
    Bjs

  • Jacqueline Vasconcelos

    Oi,tudo bem ?

    Para tudo…tinha visto esse HQ no instagram e fiquei louca para ler, então encontrar ele aqui e saber um pouco mais é maravilhoso. Amei a proposta ,a ilustração parece está maravilhosa,a sinopse está bem atrativa e sua nota, assim como seu ponto de vista só aumentaram minha vontade de ler a obra. Muito bom achar leituras interessantes e divertidas.

  • Andy

    Não costumo ler HQ’s, é raro encontrar alguma que me atraía. Todavia, tenho vários amigos que amam hq’s e sempre buscam indicações e já sei de um que provavelmente vai adorar essa obra ^^

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *