Resenha | Bem-Vindo à Casa dos Espíritos – Christopher Buehlman

Bem-Vindo à Casa dos Espíritos é uma das apostas da editora Darkside Books para o ano de 2018. Talvez pelo título e pela capa da obra você pense que se trate de um livro de suspense ou de terror, mas quero deixar adiantado que se trata de uma fantasia moderna, quase ao estilo de Neil Gaiman.

No livro, vamos acompanhar os passos do mago (que é como ele gosta de ser chamado) Andrew Ranulf Blankenship. Ele vive em uma casa protegida por magia antiga, e tem como sua fiel escudeira, sua amiga Anneke, e juntos eles participam de reuniões de Alcoólicos Anônimos. Andrew também lida com uma espécie de maldição, afinal de contas, as pessoas que ele ama e são reciprocas em relação a esse sentimento, em algum momento acabam morrendo. Além disso, uma antigo inimiga chamada Baba Yaga está de volta em busca de vingança, então ele que se cuide.

Outro fator interessante na história é a já citada “casa mágica” do protagonista. Claro que casarões com aparência antiga não é algo inovador na literatura, basta lembrar da Mansão Marsten no livro “Salém” de Stephen King ou a “Casa da Colina”, do romance de Shirley Jackson, “A Assombração da Casa da Colina.” Mesmo a trama tendo esse artifício clichê, esse ambiente é fantástico, pois além de possuir artefatos mágicos e armadilhas, nela existe uma fabulosa biblioteca que gera a cobiça de outros seres poderosos.

“Eu poderia abandonar meus livros, desistir da magia, voltar pra Ohio. Ou ir a qualquer lugar. Ela gostaria disso… tomar minha biblioteca sem resistência, me encontrar recolhido em Enon e me espremer entre dedos como uma pulga. Crucificar e pendurar meu corpo de cabeça para baixo no Apple Butter Festival com um grande Foda-se pra Cristo, para Ohio e para torta de maçã. Eu poderia lutar com ela no monte dos adenas, mas com o quê? O porco-espinho morto não seria de grande ajuda: eu mijei na cova dele.”

O livro esbanja diversidade. Desde personagens LGBTs, pessoas que não são nem do bem e do mal, indo até bruxas cyborgs (sim, estou falando sério), com seus conflitos internos; explorando um pouco da cultura e mitologia russa (talvez você encontre um pouco de dificuldades na leitura por causa de nomes e termos estranhos). Talvez seja mais por questão de cunho pessoal, mas não dou nota máxima ao livro porque gosto quando existe uma certa prolixidade na história. Mas ainda assim uma leitura super válida. Espero ter despertado um pouquinho da curiosidade de vocês. Boa leitura e forte abraço.

Exemplar cedido em parceria com a editora.


Título: Bem-Vindo à Casa dos Espíritos
Autor: Christopher Buehlman
Tradução: Carolina Caires Coelho
Editora: Darkside Books
Ano: 2018
Páginas: 380
Skoob | Goodreads | Amazon

SINOPSE: Você é o nosso convidado de honra para ler o que poucos conseguem ver. Uma casa perdida no meio do nada parece ser um bom lugar para esconder os mais sombrios segredos. Principalmente quando se trata de uma casa invisível a olhos não autorizados por seu dono, o enigmático Andrew Ranulf. Há muitas coisas que você deveria saber sobre Andrew. A mais importante de todas seria manter distância dele. Mas talvez você não consiga resistir à tentação de descobrir o que esse cara está evocando. Ele é um fenômeno que surge em todos os lugares onde Bem-vindo à Casa dos Espíritos é lançado. Não diga que não foi avisado. Protagonista do livro de Christopher Buehlman, Andrew é um imigrante russo que guarda em casa uma perigosa relíquia da antiga União Soviética. Membro dos Alcoólicos Anônimos, há dez anos longe das garrafas, ele também é um bruxo famoso. Sua técnica de conversar com os mortos através de vídeos atrai muitos clientes. Por mais estranho que pareça, Andrew também tem sentimentos e possui uma dona para o seu gélido coração: uma sereia de carne, osso e escamas. Todo cuidado é pouco para não seguirmos seu canto até o fundo do lago. Misturando antigas fábulas com uma narrativa moderna que encanta leitores em todo o mundo, Bem-vindo à Casa dos Espíritos é mais um lançamento para os destemidos leitores da DarkSide Books em 2018. Andrew Pyper – autor de O Demonologista, outro best-seller da editora que surpreendeu o mercado brasileiro – é o primeiro a afirmar: “Bem-vindo à Casa dos Espíritos é ao mesmo tempo belo e aterrorizante, mágico e realista, literalmente maravilhoso”.

6 comentários

  • Fernanda Akemi Pedotte

    Oie

    Estou doida para ler esse livro e essa é a primeira resenha que leio. Claro que despertou mais ainda minha curiosidade.
    Mesmo esses casarões não sendo nada inovador nas histórias, ainda assim fico fascinada pelo ar sombrio.
    Achei uma leitura bem diversa mesmo e espero ler o quanto antes.

    bjs

  • Mari Barros

    Oi, tudo bem?

    Eu acho os livros da Darkside incrivelmente belos. Sério! Mas esse eu ainda não tinha visto nem ouvido falar, pelo visto, deve ter sido uma ótima aposta da editora. Sua resenha ficou linda!

    Beijos,
    Blog Diversamente

  • Eloise

    Oi Rogério, adorei a resenha. Eu já sabia sobre o tema do livro e essa vibe fantástica que ele possui, pois meu namorado leu e comentou bastante dele comigo, sem spoilers claro hahaha mas chegamos a conversar sobre. Achei a proposta bem diferente. Gosto muito da lenda da Baba Yaga, então já fiquei ainda mais curiosa, tô aqui pensando como o autor desenvolveu essa personagem na trama.

    Adorei a resenha!
    Bjokas da Elo!
    http://cronicasdeeloise.blogspot.com/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *