Resenha | A Rebelde do Deserto – Alwyn Hamilton

“Você nunca quis algo com tanta força que se tornou mais do que um simples desejo?”

O que esperar de uma história de fantasia inspirada na cultura e mitologia do Oriente Médio, com um Q de faroeste e um romance bem construído, inserido perfeitamente dentro da trama? A Rebelde do Deserto apresenta uma aventura gostosa, recheada de mistérios que fazem você querer devorar cada página.

Depois que perdeu a mãe, Amani vive um verdadeiro inferno na casa dos tios. Morando em um lugar onde não se tem respeito apenas por ser mulher, a garota de olhos azuis vive o desespero de ser forçada a um casamento indesejado e consequentemente assumir a submissão. Todos os dias ela sonha em escapar da sufocante Vila da Poeira e mergulhar no desconhecido e misterioso deserto Miraji para se tornar dona de sua própria vida.

Para isso, Amani se disfarça como um garoto e participa de um torneio de tiros – uma das suas maiores habilidades – para conseguir dinheiro para fuga. Em uma noite, um forasteiro enigmático acaba cruzando o seu caminho e os dois acabam se unindo por acidente e necessidade em busca daquilo que desejam.

“— Você é este país, Amani. Mais viva do que qualquer coisa deveria ser neste lugar. Toda feita de fogo e de pólvora, com um dedo sempre no gatilho”.

Minha experiência lendo A Rebelde do Deserto pode se dividir em duas partes. A princípio, demorei para me conectar com a história e achei os personagens um tanto superficiais, apesar de estar apreciando bastante a construção de mundo. Mas também tenho que admitir que a culpa talvez não tenha sido apenas do livro. Na época, eu estava passando por uma leve ressaca literária depois de ter encerrado uma trilogia que gosto muito, Mistborn.

Porém, a hype deste livro estava tão grande, que simplesmente parei e me perguntei o que estava acontecendo? O livro não estava me cativando, ou eu não estava no momento certo para ler, consequentemente prejudicando a leitura? Quando ainda não tinha chegado nem na metade do livro, comecei a relembrar tudo o que já tinha acontecido, e a surpresa foi perceber que eu estava diante de uma história frenética, com vários acontecimentos inusitados e interessantes. Depois dessa avaliação, comecei a encarar a história de outra forma e finalmente consegui me entregar a ela.

“— Você é uma ótima mentirosa. Para alguém que não mente”.

A construção de mundo continuou me cativando até o final. Os aspectos históricos entrelaçados com as lendas me fizeram apreciar muito o livro. Fiquei encantada com criaturas mágicas, principalmente pelo Buraqi, o cavalo de areia que se torna real quando é tocado.  Apesar da narrativa ser um tanto rasa, a autora acerta na ótima forma de apresentar a mitologia, colocando alguns contos separados, mas que ao mesmo tempo se conectam com a história.

Imagem relacionada

É verdade que não me apeguei aos personagens com muita facilidade, mas passada uma boa parte da história, para meu alívio, me vi conectada com cada um deles e suas causas. O mais interessante é que Amani e Jin, o forasteiro, formam uma dupla cativante e muito dinâmica. O relacionamento entre eles foi leve, bem desenvolvido e não tomou o centro da trama. Cada personagem seguiu fiel a si mesmo, com seus segredos e motivações.

“Uma nova alvorada. Um novo deserto”.

Um dos pontos mais interessantes da história, além da incrível construção de mundo, foi ela se desviar dos vários clichês comuns em livros YA. Me senti muito aliviada por ela não seguir este caminho, e ainda mais empolgada para a continuação. A Rebelde do Deserto não era bem o que eu esperava, mas para a minha felicidade, gostei ainda mais da sua proposta. Foi uma ótima estreia para uma história promissora, possuidora de vários mistérios que deixam o leitor sedento por mais.

Obs.: Escrever essa resenha foi um desafio, já que li A Rebelde do Deserto no ano do seu lançamento, lá em 2016. Porém, como estou prestes a concluir essa trilogia que passei a gostar tanto, decidi fazer um esforço para lembrar das sensações que tive e trazer para vocês as minhas experiências de leitura tanto de A Rebelde do Deserto, quanto de A Traidora do Trono, que sairá muito em breve.


A Rebelde do DesertoTítulo: A Rebelde do Deserto
Autor: Alwyn Hamilton
Tradução: Eric Novello
Editora: Seguinte
Ano: 2016
Páginas: 283
Skoob | Goodreads | Amazon

SINOPSE:O deserto de Miraji é governado por mortais, mas criaturas míticas rondam as áreas mais selvagens e remotas, e há boatos de que, em algum lugar, os djinnis ainda praticam magia. De toda maneira, para os humanos o deserto é um lugar impiedoso, principalmente se você é pobre, órfão ou mulher.

Amani Al’Hiza é as três coisas. Apesar de ser uma atiradora talentosa, dona de uma mira perfeita, ela não consegue escapar da Vila da Poeira, uma cidadezinha isolada que lhe oferece como futuro um casamento forçado e a vida submissa que virá depois dele.

Para Amani, ir embora dali é mais do que um desejo — é uma necessidade. Mas ela nunca imaginou que fugiria galopando num cavalo mágico com o exército do sultão na sua cola, nem que um forasteiro misterioso seria responsável por lhe revelar o deserto que ela achava que conhecia e uma força que ela nem imaginava possuir.

14 comentários

  • Jéssica Rabelo

    Oii Gisele.
    Bem como você eu me surpreendi bastante com A Rebelde do Deserto muito embora não seja uma de minha obras favoritas. Mas eu gostei bastante da construção do mundo e da fuga do YA que a autora fez. Foi um livro que apesar de não ter sido favoritado, me deixa esperançosa para a continuação dele.
    Ótima resenha.
    Beijos.

    • Gisele Lopes

      Oi Jess! Também não foi uma das minhas obras favoritas, mas o segundo livro foi tão bom que essa trilogia tem tudo para se tornar uma queridinha, se o terceiro livro manter o mesmo padrão. Espero que goste dos próximos. Beijos.

  • Elisabete Finco

    Estou no bloco dos que tem os dois primeiros livros e ainda não leu. A maioria das pessoas que conheço e leram me falaram algo exatamente igual a seu relato, que até a metade do livro não foi e depois melhora.. e isso não me anima porque acho muito ter que ler metade do livro pra ai sim as coisas começarem a se encaixar pra quem está lendo. Mas como tenho os físicos provavel que num futuro venha a dar uma chance. Beijos ~Elis Blog Pretenses

    • Gisele Lopes

      Oi, Elis! É normal às vezes demorarmos para entrar de cabeça em uma história, principalmente quando se trata de livros de fantasia, quando a construção de mundo é tão importante quanto a de personagens. Eapero que você leia e goste. Vale à pena 😘

  • Cecília Justen de Souza

    Ei! Tudo bem?

    Já li várias resenhas desse livro e todas me despertaram a curiosidade, mas nunca cheguei a parar para ler. Obrigada por não desistir e ter feito essa resenha mesmo tanto tempo depois da leitura, pois adorei ler sua opinião, me aventurar um pouquinho no Oriente Médio, isso tudo me fez querer ler e iniciar de vez 🙂 Parabéns!

    Beijos!

  • Fernanda Akemi Pedotte

    Oiee!!

    Eu também me surpreendi bastante com a leitura desse livro e fiquei totalmente cativada pelos personagens, achei que deu muito certo.
    E a construção do mundo e o desviar dos clichês foram os aspectos que me cativaram e me deixaram ansiosa para a continuação. Espero ler em breve!
    Adorei a resenha!

    bjs

  • Lara Xavier

    Olá eu confesso que fico em duvida em ler esse livro pois não me chama tanta atenção assim mais sua resenha me deixou curiosa para realizar a leitura

  • Eloise

    Oi Gisele,

    Uau você leu esse livro em 2016 e escreveu essa resenha top? Meus parabéns, arrasou! Eu tenho um grande interesse de ler esses livros, acho a capa deles maravilhosas e a premissa da história intrigante. Com a sua resenha fiquei ainda mais curiosa para conhecer esse mundo. Adorei saber sobre o processo que você passou durante a leitura, é sempre bom fazer uma análise do por que não está fluindo. Eu faço muito isso e sempre costumo olhar o livro como um todo. Gostei demais de saber sua opinião!

    Quero muito ler!
    Bjokas da Elo!
    http://cronicasdeeloise.blogspot.com.br/

    • Gisele Lopes

      Oi Elo! Aaah, muito obrigada! Foi muito difícil fazer essa resenha porque minha memória funciona à curto prazo hahaha. Às vezes é preciso fazer esse tipo de avaliação para não sermos injustos com um livro. E nossa, tenho certeza que você vai gostar dessa história. Beijo 💙😘

  • Viviane Oliveira

    Gi ficou ótimo, se vc não falasse eu jamais ia imaginar que leu a muito tempo!
    Amei conhecer seu ponto de vista, eu já tinha lido resenhas desse livro mas não tinha me atraído tanto… vc me fez ficar balançada a dar uma chance viu!!

    osenhordoslivrosblog.wordpress.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *